Família

Compromisso

Qual será o maior compromisso da sua vida?
Sem qualquer dúvida, para mim é a maternidade/paternidade.
Pois é, parece algo tão simples, mas na verdade não é.

O que é um compromisso?
Compromisso acima de tudo é algo que assumimos connosco e com outros, quer sejam seres racionais ou irracionais, quer sejam vivos ou não vivos.

Posso enumerar um exemplo que em nada tem a ver com filhos, mas que retrata de uma forma simples o que é um compromisso. Por exemplo: comprei uma casa e tenho um compromisso mensal com o banco de pagar a prestação. Se eu falhar nesse compromisso, obviamente, vou ficar sem a minha casa. Outro exemplo: o meu filho(a) pediu-me um gatinho e eu decidi ceder ao seu pedido. Obviamente, sendo o gato um animal irracional eu tenho que estabelecer o compromisso de cuidar dele e o proteger em algumas situações. Se não o fizer as coisas vão correr mal de certeza.

Tudo aquilo a que nos propomos, implica um compromisso prévio antes da ação.

Ser mãe ou pai é tal e qual, sendo que em maior dimensão pelo menos até os nossos filhos terem a maioria de idade. É um período longo, mas que na realidade se torna bastante curto quando o traçamos com muito amor e carinho. Este compromisso é fácil? Não, não é. Está sempre sujeito a alterações comportamentais, fatores de stress, desafio, evolução da sociedade, influências exteriores … mas o maior segredo certamente, é o AMOR.
Basicamente, o AMOR está presente em todo o tipo de compromissos a que nos propomos na vida. Se não for feito com esta palavra tão pequenina, mas tão grande em dimensão algo não está bem.

Vou partir de um princípio, mesmo sabendo que nem sempre é assim, infelizmente, em que a maioria dos pais/mães quando avançam para a maternidade/paternidade o fazem com plena noção do compromisso que estão a assumir. Se o fazem, já sabem que vão passar noites sem dormir, saltar refeições porque o bebé está a chorar, comer menos bem, ficar mais stressados, sentirem-se muito mais cansados, sentirem que os pés lhe estão a fugir do chão com tanta mudança e, muitas vezes vão ter vontade de gritar ou “fugir”. E, é nesta hora que não se podem esquecer do compromisso que assumiram enquanto pais, para que o seu rebento cresça de uma forma harmoniosa.

Obviamente, que todos nós nos “passamos” algum dia porque estamos Hiper Mega cansados do trabalho e de passar noites sem dormir. Quando assim for recomendo tirar umas horas só para si e descansar um pouco. E a criança onde fica?
Simples, fica com a mãe ou com o pai. Este compromisso é dos dois, e como é lógico, deve haver a mesma aptidão para, portanto, um vai respirar e numa próxima oportunidade o outro irá. Ser sempre o mesmo é que talvez não seja a melhor escolha e certamente, trará consequências futuras um pouco desagradáveis.

Pois é leitores, e quando os pais estão separados? Sim, porque é algo que acontece.
Quando os pais derem por encerrado o compromisso como casal, NUNCA se devem esquecer que o compromisso enquanto pais se mantém, por isso processa-se da mesma forma. Não é fácil chegar a este caminho, porque muitas vezes, os adultos estão tão concentrados em si mesmos e nas suas emoções que deixam para segundo plano o compromisso maternal ou paternal. Algo que eu desaprovo a 100% e faço questão de manifestar o meu desagrado, quando reparo que isto acontece.
Aqui poderíamos falar na questão do respeito, das escolhas, das prioridades, muito poderia ser falado, mas hoje não vou entrar nesse mundo.

Termino apenas com um provérbio da cultura portuguesa que eu adoro: “Irás colher aquilo que semeares”.
Assumam um compromisso enquanto mães ou pais, irão colher os frutos todos os dias da vossa vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *